Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Não esqueçam: dos R$ 12 milhões, R$ 6 mi foi para o chantagista caso Celso Daniel

Os procuradores que integram a força-tarefa Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) em Curitiba apresentaram, nesta terça-feira (18/10), denúncia contra o ex-prefeito de Campinas (SP) Helio de Oliveira Santos, também conhecido como Dr. Helio; o ex-tesoureiro do PT Delubio Soares; o ex-presidente do Banco Schahin Sandro Tordin; os publicitários Giovane Favieri e Armando Peralta e o empresário Natalino Bertin. Todos respondem pelo crime de lavagem de dinheiro envolvendo cerca de R$ 4,2 milhões, provenientes de um empréstimo fraudulento no valor total de R$ 12 milhões, concedido formalmente em outubro de 2004 pelo Banco Schahin a José Carlos Bumlai, mas que se destinou na realidade ao pagamento de dívidas do interesse o Partido dos Trabalhadores. O empréstimo nunca foi pago por Bumlai, sendo que como contrapartida a Schahin obteve um contrato de US$ 1,6 bilhão para operação de um navio-sonda da PETROBRAS. ( Claudio Tognolli/ Yhaoo)

DOS 12 MILHÕES, R$ 6 MILHÕES FOI PARA PAGAR O CHANTAGISTA QUE AMEAÇAVA DENUNCIAR QUEM MATOU CELSO DANIEL……( Jorge Roriz)

Recordando:  Matéria de 15/12/2015 / jornal O Estado de S. Paulo:

Para tentar obter uma pena menor, o pecuarista José Carlos Bumlai, o amigo do ex-presidente Lula que foi preso no dia 24 de novembro pela Operação Lava Jato, decidiu confessar crimes que cometeu. Ele contou nesta segunda (14) a delegados da Polícia Federal que pegou emprestado R$ 12 milhões do Banco Schahin em 2004 para repassar ao caixa dois do PT.

Bumlai relatou aos policiais que metade desse valor foi destinado ao PT de Santo André, onde o partido teria sido chantageado por um empresário, Ronan Maria Pinto, que teria pedido R$ 6 milhões para não contar o que sabia sobre o caixa dois do diretório local e a relação desses recursos com o assassinato do prefeito Celso Daniel, ocorrida em 2002.

Os outros R$ 6 milhões foram enviados ao PT de Campinas para quitar dívidas de campanha, segundo a confissão de Bumlai.