Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

O estranho afastamento do governador de Alagoas

O dia 11 de outubro de 2022 ficará marcado na história brasileira como o maior ataque feito contra um governador legitimamente eleito, vencedor do primeiro turno com ampla vantagem e líder absoluto nas pesquisas. O que os últimos fatos indicam é uma tentativa de vencer a disputa na base do golpe”, disse a chapa..

Sob pretexto de investigar acusações de 2017, essa parte da PF pediu à Justiça o meu afastamento do cargo, a três semanas do segundo turno, e estando com 20 pontos de vantagem. A tentativa de criar alarde perto da confirmação da vitória é fácil de ser desconstruída: foi anunciada por adversários, evidenciando a manipulação da operação policial”, afirmou…

“A necessidade e a urgência das medidas cautelares cumpridas na manhã de hoje -que incluem busca e apreensão, sequestro de bens, afastamentos de função pública, dente outras medidas- foram amplamente demonstradas nos autos da investigação policial e corroborada pelo Ministério Público Federal, o que subsidiou a decisão judicial”, afirma a PF em nota..

o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) informou que o afastamento de Dantas não o impede de disputar a reeleição.

“A vontade soberana do povo alagoano deu uma vitória de mais de 708 mil votos ao governador Paulo Dantas, uma diferença superior a 300 mil votos em relação ao candidato de Arthur Lira. O segundo turno não está sendo diferente, temos mais de 60% da intenção de votos em Alagoas. O povo abraçou nossa candidatura, que foi vitoriosa em 83 cidades alagoanas, e sabe que com Paulo Dantas nada vai parar. Esta armação não vai impedir nosso projeto de desenvolvimento para Alagoas”, diz a coligação….

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse que o governador de Alagoas e candidato à reeleição Paulo Dantas (MDB) está sofrendo “perseguição”. Ele falou em  “armação” do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). “Foi parar no STJ por uma armação de Lira e lá perambulou por vários gabinetes até cair nas mãos certas da ministra bolsonarista Laurita Vaz, que não tem competência para o caso”, publicou em seu perfil no Twitter, nesta 3ª feira (11.out.2022)….

Suspeito de participar de um suposto esquema de compra de votos, o deputado estadual foi abordado em um hotel por agentes da PF que cumpriam mandados de busca e apreensão. Com ele, a polícia recolheu, na época, R$ 145 mil em dinheiro e material de propaganda eleitoral. Moraes deu prazo de 48 horas para que o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas também preste informações.

A decisão de Moraes atende a pedido feito pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), líder do grupo político que dá sustentação a Dantas e Victor. No documento encaminhado ao TSE, Calheiros levanta a suspeita de interferência do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), inimigo político do senador emedebista, “a fim de causar prejuízos eleitorais ao referido candidato, com a produção de notícias que sabe ser inverídicas”.