O fanatismo bolsonarista coloca em grave risco de atentado a posse de Lula

O BRASIL SOFRE UMA GRAVE  TENTATIVA DE AMEAÇA  TERRORISTA  E BOLSONARO SE MANTÉM EM SILÊNCIO.

“Já se apontaram as semelhanças entre a inspiração subjacente ao terrorismo da direita e da esquerda: a suposição de que os feitos são mais importantes do que as palavras; a crença de que qualquer mudança seria para melhor; o desprezo ao liberalismo e à democracia burguesa e um sentido de missão histórica de uns poucos eleitos”, apontou Laqueur. Em outro livro – The future of terrorism: Isis, Al-Qaeda, and the Alt-Right –
No Brasil, os que defendem a legalidade da ocupação da frente dos quartéis são os mesmos que lembram que, em 1966, a Ação Popular explodiu uma bomba no Aeroporto de Guararapes, matando duas pessoas e ferindo outras 14. O alvo era o ministro do Exército, Arthur da Costa e Silva, então candidato à Presidência da República.

 

Polícia Federal tem o dever de DEVASSAR todos os acampamentos bolsonaristas às portas dos quartéis. O terrorista preso é CAC e confessou que obteve insumos explosivos no acampamento de Brasília, com outros CACs. Estamos falando de TER-RO-RIS-MO, não de patriotas.

 

EXÉRCITO QUE PERMITE A ARMAÇÃO DE BARRACAS NA ÁREA MILITAR, NA FRENTE DOS QUARTÉIS
É CÚMPLICE DESSES TERRORISTAS. ELE TENTOU PRATICAR O TERRORISMO, NA CERTEZA QUE A PM E O EXÉRCITO,FICARIA AO LADO DELE E DE BOLSONARO

SE A EXPLOSÃO ACONTECESSE, CENTENAS DE PESSOAS TERIAM SIDO MORTAS NO AEROPORTO DE BRASÍLIA

Futuro ministro da Justiça, tranquiliza

A posse do presidente Lula ocorrerá em paz. Todos os procedimentos serão reavaliados, visando ao fortalecimento da segurança. E o combate aos terroristas e arruaceiros será intensificado. A democracia venceu e vencerá.

“Tudo vai ser revisto, tudo repassado, passo a passo, para fortalecer a segurança do presidente e da posse. Estamos diante de um fato novo muito grave, envolvendo um homem com fuzis e bombas, que afirma não ter agido sozinho”. (Flávio Dino, ministro da Justiça do governo Lula)

“Por que Bolsonaro e Mourão não querem passar a faixa ao Lula? Estão prevendo ou sabendo de algum atentado e querem por isso evitar suas presenças?” Quem pergunta é Roberto Requião.

Para o futuro ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB), “a responsabilidade política do Bolsonaro é evidente. Estimulou o armamentismo irresponsável e atos de ataques a instituições. Mas a responsabilidade judicial ainda é cedo para falar.”