Obras de arte eram usadas para pagar propinas a deputado petralha

O LOBISTA SKORNICKI, CONFESSOU EM DELAÇÃO PREMIADA QUE  PAGAVA PROPINA PARA O DEPUTADO PETRALHA, LUIZ SÉRGIO PARA NÃO SER CONVOCADO NA CPI DA  PETROBRAS.

O PETRALHA LUIS SÉRGIO OCUPAVA O CARGO DE RELATOR DA CPI.

O lobista Zwi Skornicki, delator da Operação Lava Jato, vai pagar multa de US$ 23,8 milhões (R$ 75.822.040 milhões) e entregar 48 obras de arte.

A multa será paga com o dinheiro que está depositado em contas bancárias de cinco offshores na Suíça controladas pelo distribuidor de propinas. Na lista de obras de arte, estão peças de Salvador Dali, Carlos Vergara, Vik Muniz e Cícero Dias.

Os US$ 23,8 milhões serão pagos a contas indicadas pelo Ministério Público Federal e destinados ‘à razão de 90% ao ressarcimento da empresa Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras, e 10% aos órgãos de persecução penal’.

A delação do lobista foi homologada em 6 de outubro pelo ministro Teori Zawascki, do Supremo Tribunal Federal (STF). O documento aponta que a delação de Zwi tem 24 depoimentos e relata ‘diversas ações realizadas com o intuito de lavar dinheiro de propina paga em razões de negócios firmados com a Petrobras’.

À Procuradoria-Geral da República, Skornicki declarou que pagou propina para o deputado Luiz Sérgio (PT) para não ser convocado para a CPI da Petrobras em 2015. O petista era o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigava fraudes na estatal petrolífera.