A organização criminosa é internacional

A prisão do principal estrategista do PT, João Santana, uma espécie de Goebbels moderno. A operação Lava-jato identificou mais de R$ 600 milhões em movimentações nas contas das empresas do publicitário. O que chama mais atenção são pagamentos de um lobista ligado a Odebrecht e “operador” de propinas do Petrolão para essas contas, durante a campanha de Dilma.Por enquanto Santana e sua mulher, sócia dele, sustentam que os valores entraram via caixa 2 de pagamento de campanhas internacionais que eles fizeram, incluindo aí campanhas de Chávez e Maduro na Venezuela, bancadas por construtoras criminosas do Petrolão. É uma confissão com desdobramentos gravíssimos, como bem notou Sérgio Moro. É a prova cabal e agora irrefutável que a esquerda latino-americana se uniu num projeto criminoso e totalitário. O fim é claro: criar um regime ditatorial e roubar sistematicamente com a ajuda de alguns empresários bandidos. Algo muito mais grave que a “simples” corrupção que domina ha séculos a política do continente.Além disso, é mais uma prova que a campanha de Dilma foi alimentada com dinheiro de roubo da Petrobrás e de outras estatais.

Postado por Gracias Ferraz.