Pai mata filho por não aceitar seu elo com movimentos sociais e depois se mata

GUILHERME FOI ASSASSINADO PELO PAI

O estudante Guilherme Silva Neto, de 20 anos, foi assassinado pelo engenheiro civil Alexandre José da Silva Neto, de 60 anos, pai da vítima. O fato ocorreu em Goiânia.
Conforme consta no registro de ocorrência, Alexandre não concordava com o comportamento e o modo de ser do filho, considerado “alternativo e revolucionário”. Guilherme era ligado a movimentos sociais, incluindo as ocupações de escolas contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que estabelece teto para o aumento dos gastos públicos.
Após atirar contra o filho, Alexandre se debruçou sobre ele e atirou contra si. Ele foi socorrido e levado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas morreu.

Informações do G1.