Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

PDT reforça reação do PT e fala em anulação das eleições após nova denúncia crime eleitoral

O presidente do PDT, Carlos Lupi, promete reforçar os movimentos do presidenciável Fernando Haddad (PT) contra a onda de fake news que, segundo a campanha petista, tem desequilibrado o jogo nesta reta final do segundo turno. Lupi reagiu nesta quinta-feira (18) à nova denúncia de crime eleitoral atribuída à campanha do adversário do PT, Jair Bolsonaro (PSL), na corrida presidencial. Segundo reportagem da Folha de S..Paulo, empresas têm comprado pacotes de disparos em massa de mensagens contra Haddad e o PT, via WhatsApp, e preparavam uma grande ação orquestrada na semana que antecede a votação final. A prática configura crime eleitoral.

A exemplo do PT, cujos advogados eleitorais estudam que medida jurídica tomar, Lupi e integrantes da cúpula do PDT pretendem reagir à altura da denúncia do jornal paulista. “O problema das fake news é muito grave, mas agora a compra do envio em massa de fake news contra o PT foi para um outro patamar. É crime. É abuso do poder econômico. Vamos pedir a nulidade das eleições. Isso aí vai dar um oba-oba bom”, avisou o presidente do PDT.

“A democracia está em risco. O deputado Jair Bolsonaro está sendo condenado diariamente pela Justiça Eleitoral a retirar as difamações que faz contra mim. E agora sabemos que ele está produzindo e distribuindo isso com dinheiro sujo”, escreveu Haddad no Twitter. Ele aproveitou para fazer referência ao candidato do PDT, Ciro Gomes, que anunciou “apoio crítico” ao petista no segundo turno e, em seguida, viajou ao exterior.

“Eu acho que o segundo turno deveria se dar entre mim e o Ciro. Isso seria o correto e o que a legislação prevê, porque ele tentou fraudar a eleição. Felizmente não acabou no primeiro turno, senão teria ido tudo pra debaixo do tapete”, acrescentou o petista.