Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Pesquisa Ipec: reprovação ao governo Bolsonaro chega a 55%

O instituto também divulgou uma nova pesquisa sobre a eleição presidencial. O ex-presidente Lula lidera isolado a disputa, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro.

O Ipec divulgou uma nova pesquisa com a avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro. O Ipec é o instituto criado por ex-executivos do Ibope Inteligência, que encerrou suas atividades.

Em fevereiro, 28% consideravam a administração do presidente Bolsonaro ótima ou boa. Em junho, 24%. Em setembro, 22%. Agora, 19%.

Avaliavam como regular 31%. Depois, 26%; 23%. Agora, 25%.

Em fevereiro, a administração era ruim ou péssima para 39% dos entrevistados. Em junho, o índice subiu para 49%. Em setembro, estava em 53%. Agora, a desaprovação é de 55%.

Não souberam ou não responderam 2% em fevereiro, e 1% nas três últimas pesquisas.

Na pesquisa sobre a forma como o presidente Jair Bolsonaro administra o país, em fevereiro, 38% aprovavam a forma de Bolsonaro administrar. Em junho, o índice caiu para 30%. Em setembro, 28%; e, agora, 27%.

Em fevereiro, 58% desaprovavam a forma de administrar. Em junho, a desaprovação subiu para 66%. Em setembro, 68%; e o mesmo percentual agora.

Não souberam ou não responderam 5% em fevereiro, e 4% nas três últimas pesquisas.

O Ipec mediu a confiança dos brasileiros no presidente.

Em fevereiro, 36% responderam que confiavam em Jair Bolsonaro. Em junho, a parcela caiu para 30%. Em setembro, ficou em 28%. Agora, está 27%.

Disseram, em fevereiro, que não confiavam no presidente 61% – índice que subiu para 68% em junho. Em setembro, foi de 69%. Agora, 70%.

Não sabiam ou não responderam: 3%; 2%; e 3% nas duas últimas pesquisas.

Eleição presidencial
O Ipec também divulgou uma nova pesquisa sobre a eleição presidencial de 2022. O ex-presidente Lula lidera isolado a disputa, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança da pesquisa é de 95%.

Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, aparece com 48% das intenções de voto. Com a margem de erro, tem de 46% a 50%.

Jair Bolsonaro, do PL, tem 21%. Com a margem de erro, de 19% a 23%.

Sergio Moro, do Podemos, tem 6%. Com a margem de erro, de 4% a 8%.

Ciro Gomes, do PDT, tem 5%. Com a margem de erro, de 3% a 7%.

Andre Janones, do Avante, tem 2%. Com a margem, de 0% a 4%.

João Doria, do PSDB, também 2%. Com a margem, de 0% a 4%.

Cabo Daciolo, do PMN, 1%. Com a margem de erro, de 0% a 3%.

Simone Tebet, do MDB, 1%. Com a margem, de 0% a 3%.

Alessandro Vieira, do Cidadania, Felipe d’Ávila, do Novo, Leonardo Péricles, do UP, e Rodrigo Pacheco, do PSD, foram citados, mas não atingem 1% das intenções. Com a margem de erro, podem ter até 2%.

Brancos e nulos: 9%. Não sabem ou não responderam: 5%.

Agora, o resultado da pesquisa do Ipec quando se apresentam apenas cinco nomes de candidatos.

Lula tem 49% das intenções de voto. Com a margem de erro, de 47% a 51%.

Jair Bolsonaro tem 22%. Com a margem de erro, de 20% a 24%.

Sergio Moro aparece com 8%. Com a margem de erro, de 6% a 10%.

Ciro Gomes tem 5%. Com a margem de erro, de 3% a 7%.

João Doria, 3%. Com a margem de erro, de 1% a 5%.

Aqueles que pretendem votar em branco ou anular são 9%; 3% não sabem ou não responderam.

O Ipec entrevistou 2.002 eleitores em 144 municípios – de quinta-feira (9) até segunda-feira (13).