PFIZER - Governo começa a entregar as primeiras 500 mil doses

PFIZER - Governo começa a entregar as primeiras 500 mil doses

O Ministério da Saúde começou a distribuir as primeiras 500 mil doses da vacina da Pfizer. O ministério orienta um intervalo de três meses entre as duas aplicações. A bula da vacina da Pfizer orienta um intervalo maior ou igual a 21 dias, de preferência três semanas. o governo argumentou que o intervalo maior serve para que mais brasileiros recebam ao menos uma dose mais rapidamente.

Num comunicado divulgado nesta segunda, a Pfizer disse que regimes de dosagem ficam a critério das autoridades de saúde. Reiterou que a bula hoje registrada pela Anvisa preconiza um intervalo entre doses, preferencialmente, de 21 dias, e que, dados do estudo de fase 3 demonstraram que, embora a proteção parcial da vacina pareça começar 12 dias após a primeira aplicação, duas doses da vacina são necessárias para fornecer a proteção máxima contra a doença, uma eficácia da vacina de 95%.

Desde janeiro, os britânicos adotaram um intervalo de três meses para a vacina da Pfizer.

O médico e infectologista Renato Kfouri defende que a estratégia de um intervalo maior entre as doses pode garantir uma imunização a mais pessoas num momento de escassez de vacinas.

“O intervalo que o Reino Unido utiliza de três meses entre a primeira e a segunda dose e que foi adotado pelo Ministério da Saúde no Brasil é um intervalo seguro, porque permite que os indivíduos vacinados com esse intervalo mantenham sua proteção até que confira a segunda dose seja recebida. E com isso nós podemos, num primeiro momento, com um número menor de doses, imunizar um número maior de pessoas”, afirma Renato Kfouri.

Segundo o Mnistério da Saúde, estudos clínicos feitos em Israel, Estados Unidos e Reino Unido sobre a aplicação das doses em um intervalo maior do que aquele que consta na bula.