Plantão de notícias – Julgamento HC de Lula

Democracia é incompatível com impunidade! Judiciário é fiador da democracia porque deve proteger a lei e punir quem a viola. Se a pena puder ser adiada até a prescrição no STJ, há impunidade e não democracia. O STF escolhe hoje se protege a democracia ou se consagra a impunidade. ( Júlio M. Oliveira)

Bolsa cai mais de 1,5% em dia de julgamento de habeas corpus de Lula

Uma das primeiras coisas que o Exército tem que fazer é mandar os cadetes para as universidades públicas passar máquina zero na cabeça dos maconheiros. ( Juliana Santos)

Democracia é incompatível com impunidade! Judiciário é fiador da democracia porque deve proteger a lei e punir quem a viola. Se a pena puder ser adiada até a prescrição no STJ, há impunidade e não democracia. O STF escolhe hoje se protege a democracia ou se consagra a impunidade. ( Júlio M. Oliveira)

O julgamento do HC do ex- presidente Lula, está marcado nesta quqrta-feira (04/04)  para ás !4h 30 no Supremo Tribunal Federal (STF)

O trânsito na região central de Brasília terá uma série de interdições, desvios e mudanças durante o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com o G1, os bloqueios foram montados à meia-noite, fechando o Eixo Monumental na altura da Catedral Metropolitana. Quem estiver descendo pela via rumo ao Congresso terá de virar à direita, pegando o acesso à L2 Sul.  Durante todo o dia, os dois sentidos do Eixo Monumental seguirão interditados da Catedral até o Balão do Presidente, na via L4 Sul. As principais alternativas para circulação são as faixas localizadas atrás dos ministérios – S2 e N2, além das avenidas L2 Norte e L2 Sul.

 

Na terça-feira, Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski, contrários à regra atual, avaliaram que o habeas corpus vale apenas para Lula. Os dois não têm intenção de usar o julgamento para estabelecer uma regra a todos os casos de condenados em segunda instância porque já consideram que uma eventual decisão favorável a Lula apontaria nova tendência. Em outras palavras, os magistrados teriam os dois entendimentos, de 2016 e de 2018, para decidir sobre o momento da prisão.

— É um processo subjetivo. Cada juiz decide como quer, continua decidindo — disse Lewandowski, ao ser questionado se uma decisão favorável ao ex-presidente poderia servir de parâmetro para as instâncias inferiores.