Polícia Federal prende José Yunes, ex-assessor de Temer

O ex-assessor do presidente Michel Temer, José Yunes, foi preso nesta quinta-feira (29) pela Polícia Federal. A ordem de prisão temporária é do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, conforme publicação do jornal O Estado de S. Paulo.

A Polícia Federal informou que, por determinação do STF, ‘não se manifestará a respeito das diligências realizadas na presente data’.

Yunes, advogado e empresário, é amigo de longa data do presidente Michel Temer. Em 2016, Yunes assumiu presidência do diretório municipal do PMDB em São Paulo, nomeado chefe do gabinete-adjunto de agenda do presidente da República e em seguida foi promovido para assessor especial da Presidência.

Ainda em 2016, o advogado pediu demissão ao presidente Temer afirmando que foi jogado no “lamaçal de abjeta delação” e “enxovalhado por irresponsáveis denúncias”. Ele se referia à delação do executivo Cláudio Mello Filho, da Odebrecht, que mencionou o amigo de Temer como receptor de dinheiro em espécie em seu escritório na cidade de São Paulo.

Após a acusação, Yunes contou que recebeu, em 2014, um pacote entregue pelo doleiro Lucio Bolonha Funaro a pedido do atual ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. Em entrevista ao jornalista Lauro Jardim, do site O Globo, Yunes disse que foi usado como “mula” por Padilha e que não conhecia Funaro, nem sabia o que estava dentro do pacote.

O advogado José Luis Oliveira Lima, que defende Yunes, disse ser “inaceitável a prisão de um advogado com mais de 50 anos de advocacia, que sempre que intimado ou mesmo espontaneamente compareceu a todos os atos para colaborar”.

“Essa prisão ilegal é uma violência contra José Yunes e contra a cidadania.”

Grecco foi preso em sua casa, em Monte Alegre do Sul (SP) e foi levado à Polícia Federal em São Paulo.

Também estão sendo feitas ações de busca e apreensão na sede da Rodrimar e na casa do Grecco, em Santos.

A PF disse, em nota, que “por determinação do STF, não se manifestará a respeito das diligências realizadas na presente data”.