Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Polícia Federal X Polícia Legislativa

Cunha diz que quer falar. “Eu vou falar!”. É bom reforçar a segurança de Cunha na cadeia.

Juiz federal diz que são ‘gravíssimos’ indícios contra policiais legislativos Associação Criminosa Armada Corrupção Obstruir Lavajato

Polícia do Senado tentou impedir por quatro vezes busca e apreensão na casa de Collor

A polícia administrativa não podia atuar nos gabinetes dos senadores, escritórios e em residências dos senadores.E autorizada a atua apenas no Congresso.
Eles  usaram aparelhos privativos da Polícia investigativa. Os aparelhos ( maletas Israelenses) tanto são  usadas para fazer varreduras como também para espionar desafetos. ( que não é função da polícia legislativa)
Os endereços das varreduras  eram de investigados na Lava Jato
Sarney não é mais Senador e recebeu serviços da Polícia Legislativa
Varreduras são permitidas, mas dentro do prédio e para grampos ilegais.
Sarney nega que o serviço tenha sido realizado na residência dele.
A polícia federal considera que a polícia legislativa praticou ações  de contra espionagem e de obstrução da justiça. As grampos  eram legais e autorizadas pela justiça. Não poderia ser retirada pela polícia administrativa.

Dois policiais concursados foram chamados para participar das ações. Eles se recusaram a participar e fizeram a denuncia à Lava Jato. As operações ocorrem desde 2014.

São crimes de Corrupção passiva e  tentativa de obstruir  à justiça

No momento as ações não são contra os senadores e sim contra a Polícia do Senado. ( polícia administrativa).