Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Policiais matam homem amarrado (pés e mãos) dentro da viatura com fumaça tóxica

Genivaldo de Jesus Santos. 38 anos.  morreu depois que agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) fizeram uma “câmara de gás” em uma viatura e o trancaram dentro, na quarta-feira (25). A vítima teria esquizofrenia e estava com cartelas de remédios nos bolsos. Ginivaldo estava em uma motocicleta e foi abordado por três policiais.

O homem foi colocado na viatura, de onde podia ser vista fumaça saindo de dentro. As pernas dele ficaram para fora do porta-malas. Existe vídeos, monstrando o crime.

A POLÍCIA RODOVÍARIA FEDERAL NÃO EXPLICOU A CAUSA DA FUMAÇA SAINDO DO PORTA MALAS DO CARRO, ONDE A VÍTIMA FOI COLOCADA.

É MAIS UM CRIME OCORRIDO NO PAÍS,COMETIDO POR MAUS POLÍCIAIS, NA VERDADE SÃO CRIMINOSOS, FANTASIADOS DE POLICIAIS.

O Instituto Médico-Legal (IML) informou que análise preliminar aponta que o homem morreu por asfixia. “Vítima teve como causa mortis insuficiência aguda secundária a asfixia”, diz, em nota.

Em protesto ao fato, manifestantes queimaram pneus para impedir o fluxo de veículos nos dois sentidos da BR-101, local onde ocorreu o crime.

A Polícia Rodoviária Federal disse que empregou, sem especificar quais, “técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo” para conter o homem que foi levado no porta-malas de uma viatura após ter sido abordado na BR-101, em Umbaúba (SE)

O Ministério Público Federal (MPF) informou, nesta quinta-feira (26), que abriu procedimento para acompanhar as investigações sobre os fatos que levaram à morte de Genivaldo de Jesus Santos, 38 anos, após uma abordagem de policiais rodoviários federais no município de Umbaúba (SE). A Polícia Rodoviária Federal disse que empregou, sem especificar quais, “técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo” .

Nota do IML
“O Instituto Médico Legal (IML) informa que o corpo de Genivaldo de Jesus Santos deu entrada às 18h20 desta quarta-feira (25), tendo início o processo de identificação por meio da papiloscopia e em seguida encaminhado para o exame de necrópsia.

O IML detalha que foi realizada a necrópsia médico forense, sendo coletado o material de amostras biológicas de sangue, tecidos de alguns órgãos. O material foi encaminhado ao Instituto de Análises e Pesquisas Forenses (IAPF) para elucidar a causa imediata da morte.

Foi identificado de forma preliminar que a vítima teve como causa mortis insuficiência aguda secundária a asfixia.

A asfixia mecânica é quando ocorre alguma obstrução ao fluxo de ar entre o meio externo e os pulmões. Essa obstrução pode se dar através de diversos fatores fatores e nesse primeiro momento não foi possível estabelecer a causa imediata da asfixia, nem como ela ocorreu.

O IML identificou preliminarmente que os sinais e os vestígios presentes indicam de fato a asfixia. Os exames complementares vão ajudar o perito a chegar em uma conclusão de como se deu o processo de asfixia.

Após a conclusão dos trabalhos, os laudos serão remetidos à delegacia de Polícia Federal.”

De acordo com testemunhas e imagens divulgadas em redes sociais, Genivaldo obedeceu a ordem de parada, colocou as mãos sobre a cabeça e foi revistado. Quando os policiais o questionaram sobre cartelas de comprimidos encontrados em seu bolso, ele esboçou uma reação. Os policiais usaram spray de pimenta para derrubar e imobilizar o homem. Um dos agentes chegou a colocar o joelho em seu pescoço. Em seguida, ele foi amarrado e colocado no porta-malas do camburão.

Ainda conforme a testemunhas, foi nesse momento que os agentes lançaram outro tipo de gás contra o homem, que já havia sido colocado no porta-malas. Como as pernas ficaram para fora, os policiais forçaram a porta traseira da viatura contra os membros inferiores do abordado. Segundo as testemunhas, entre elas um tio do rapaz, os policiais lançaram outro tipo de gás no interior do porta-malas e fecharam a porta. Nas imagens, é possível ver uma espécie de fumaça saindo do compartimento.

Com pedidos de “justiça” pela população, foi sepultado no final da manhã desta quinta-feira (26), em um cemitério de Umbaúba (SE), o corpo de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, que morreu após ser imobilizado por policiais rodoviários federais e colocado dentro do porta-malas de uma viatura na BR-101, no município.

JORGE RORIZ