Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Policial atirou em colegas e foi alvejado por três tiros

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o policial militar Weslei Soares que pintou o rosto de verde e amarelo e iniciou uma série de disparos no Farol da Barra, em Salvador, aparentava ter sofrido um “surto psicótico”. Ele foi baleado após atirar contra policias do Batalhão de Operações Policiais Especiais. O policial pertence à 72º Companhia Independente de Polícia Militar de Itacaré, no sul do estado da Bahia.

Mais cedo, o PM pintou o rosto de verde e amarelo e, antes de chegar ao farol, onde invadiu o gramado com um carro, chegou a ser perseguido pelas ruas da capital.

Depois de quase quatro horas de negociação com o Bope batalhão de operações especiais, o soldado, que ainda não teve a identidade revelada, atirou na direção de outros policiais, que revidaram.

“No momento que caiu ao chão ele iniciou uma série de disparos contra os policiais, que novamente tiveram a necessidade de realizar disparos, e, quando ele cessou a agressão, os policiais chegaram perto para utilizar o resgate”, declarou Capitão Luiz Henrique, o negociador.”

O policial foi baleado por agentes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Ele foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao Hospital Geral do Estado.

Em um vídeo nas redes sociais o deputado Soldado Prisco (PSC) convoca policiais de todo o estado para a realização de assembléias de deflagração de greves. Prisco foi demitido da PM em 2002, mas desde então se promove politicamente mobilizando a categoria.

O falecido senador Major Olímpio, já havia alertado sobre Prisco na época do motim no Ceará.

Chamou o deputado de “mobilizador de greves profissional” e listou outros PMs especializados nessas atividades com fins eleitorais.

O PM foi atingido em pelo menos três regiões do corpo, incluído tórax e abdômen.

Os disparos contra o policial militar Weslei Soares não foram programados pela equipe do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) que atuava na ocorrência, segundo o major Cledson Conceição, comandante do grupo. De acordo com ele, os disparos foram uma reação à ação do PM que atirou contra os colegas de farda.

“Infelizmente, a atuação da tropa não foi uma situação confortável. Aqueles foram disparos de reação, e quando ocorrerem as investigações, isso vai ser entendido de uma melhor forma”, explicou o comandante, durante entrevista coletiva nesta segunda-feira (29).

As deputadas bolsonaristas Bia Kiss e Carla Zambelli,  usaram o incidente para tirar proveito politico e mentindo disse que  o policial foi morto por não atender a ordem de prender trabalhadores.

Nota da PM: “Após 3h30 de negociação, um soldado da Polícia Militar, aparentando surto psicótico, disparou com fuzil contra guarnições do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e terminou neutralizado. O confronto ocorreu, no início da noite deste domingo (28), no Farol da Barra.”

Bia Kicis incentiva motim de PMs na BA c/ tuíte q traz voz aos prantos. Ela ñ chora por 310 mil mortos. Só por quem atira contra a própria PM. LSN já! A CCJ têm de fazer motim contra Bia Kicis, que incentiva motim de PMs na BA – 29/03/2021″

Reinaldo Azevedo