Posse de Decotelli no Ministério da Educação, não vai ocorrer

A posse do novo ministro, da Educação,  Carlos Alberto Decotelli, prevista para amanhã, 30/06, foi cancelada.

Currículo Mestrado: plagiado.( Textos na monografia de outros autores e esses autores não foram citados)

Doutorado: reprovado. (informação  confirmada pela Universidade do Rosário na Argentina)

Pós-doutorado: inventado. (informação  confirmada pela  Universidade de Wuppertal na Alemanha)

Se ele não explicar as inconsistência no seu currículo,  ele vai cair antes de tomar posse. COMO NÃO EXISTE EXPLICAÇÃO, ELE JÁ ESTÁ DESCARTADO.

Falsificação de documento público
Artigo 297

Falsidade ideológica
Artigo 299

De acordo com o subprocurador-geral Lucas Furtado, Serão investigados ‘possíveis possíveis prejuízos ao erário decorrentes da nomeação do novo ministro da Educação, Sr. Carlos Alberto Decotelli, considerando as notícias de que, embora constasse me seu currículo o título de ‘doutor’, na verdade ele não concluiu essa titulação acadêmica, bem como as suspeitas que pairam sobre suposto plágio ocorrido na dissertação de mestrado’.
Neste caso, a apuração deve mirar a ‘eventual invalidade do ato de nomeação’ de Decotelli, no que resultaria a necessidade de ressarcimento dos cofres públicos de benefícios e subsídios pagos ao novo ministro da Educação, como auxílio-mudança

O Subprocurador disse que também será apurao ‘se o curso de doutorado inconcluso foi custeado com recursos públicos federais, mediante alguma bolsa de estudo patrocinada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) ou pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)’.

“Essa situação, por mais surreal que seja, lembra-se uma história que se conta sobre futebol: quando o time está muito ruim, com um péssimo desempenho, com jogadores pífios, a torcida fica tão sem esperanças que até a substituição que fazem de um atleta que está no meio do jogo é comemorada, pois acreditam que nada pode ser pior que o jogador substituído”, escreveu o subprocurador junto ao TCU. “Parece que foi assim quando o ex-ministro Abraham Weintraub foi exonerado. Vã esperança, que acabou antes mesmo de começar. E olha que, como professor que sou há décadas, já vi e vivi de tudo!”

Fonte: Estadão