Presos se rebelam em penitenciária do Rio Grande do Norte

A Penitenciária Estadual Dr. Francisco Nogueira Fernandes, conhecida como Alcaçuz, em Nísia Floresta, na Grande Natal, como a maioria das penitênciarias do Brasil está superlotada. São 1.150 onde cabem 620.

Nísia Floresta é uma cidade próxima à capital Natal, trata-se de uma disputa entre o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Sindicato do Crime RN, facção aliada à Família do Norte (FDN) e ao Comando Vermelho (CV).

Presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, no Rio Grande do Norte, iniciaram uma rebelião em um dos pavilhões, na tarde deste sábado (14). Até o momento dez presos foram mortos na guerra de facções ocorrida na tarde deste sábado em Natal-RN. Muitos foram decapitados.

De acordo com o comandante do Batalhão de Policiamento da Capital, coronel Osmar, foram deslocados para Alcaçuz equipes dos batalhões de Operações Especiais da Polícia Militar e de Choque, além de várias viaturas de apoio. Os policiais militares estão na área externa da penitenciária.

O governo estadual informou, por meio da assessoria de imprensa, que também  foi instalado um grupo de monitoramento com as autoridades de segurança pública. Segundo a assessoria, a rebelião começou por volta as 17h (horário local, 18h em Brasília).

A Penitenciária de Alcaçuz é considerada a maior unidade prisional do estado. Ela é formada por cinco pavilhões e tem 5 mil 900 metros quadrados de área construída.

Informações publicadas no site da Secretaria Estadual da Justiça e da Cidadania mostram que Alacaçuz tem um total de 620 vagas e abriga atualmente uma população prisional 1.083 presos em regime fechado.

Da Agência Brasil