Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Procurador geral de justiça pede a punição de PMs que participem de manifestações políticas partidárias

o procurador-geral de Justiça de São Paulo, Mário Sarrubbo, solicitou ao Comando da Polícia Militar e o do Corpo de Bombeiros de SP que adotem medidas para ‘prevenir, buscar, e se for o caso, fazer cessar, inclusive por meio da força’ quaisquer manifestações político-partidárias promovidas ou com participação de PMs da ativa.

Ele pediu também a instauração de procedimentos administrativos contra os agentes envolvidos nos atos.

Na recomendação enviada à Secretaria de Segurança Pública do Estado, Sarrubbo indica que o ‘ordenamento jurídico repudia a ação de grupos armados, civis ou militares, que se reúnam com o objetivo de promover a ruptura da ordem constitucional vigente, concebendo tais práticas como crimes inafiançáveis e imprescritíveis’. Nessa linha, o PGJ destacou o ‘legítimo interesse’ do Ministério Público Militar em ‘prevenir comportamentos ilegais, bem como assegurar a tranquilidade à coletividade com relação a ordem pública e social, bem como a preservação dos lastros rochosos de Hierarquia e Disciplina que dão sustentação às forças militares auxiliares do Estado’.