Projeto cria o Gás Social para famílias mais pobres

NÃO BASTA TER O GÁS. É PRECISO TER RENDA PARA COMPRAR OS ALIMENTOS……………………

Tiago Correia comemora projeto que reduz preço do gás de cozinha

Em julho, parlamentar baiano encaminhou ao presidente Bolsonaro proposta de criação de um programa social para reduzir preço do produto

O deputado Tiago Correia (PSDB) comemorou a aprovação, pela Câmara dos Deputados, de um novo auxílio, o Gás Social, destinado às famílias de baixa renda. Se o projeto também for aprovado pelo Senado, o programa vai garantir pelo menos 50% do valor do botijão de 13 quilos que, em algumas cidades da Bahia, já passa de R$ 100.

Em julho, Tiago Correia apresentou um projeto de indicação, endereçado ao presidente Bolsonaro, sugerindo a criação de uma tarifa social para a compra do gás de cozinha (GLP) em favor das famílias em situação de vulnerabilidade social e que estejam cadastradas no Cad Único (Bolsa Família). De janeiro a setembro, o preço médio do botijão aumentou quase 15%. “É preciso um olhar especial para a população de menor poder aquisitivo, instituindo um tarifa social que permita a compra do gás de cozinha pelas pessoas que atualmente sobrevivem em condições precárias”, escreveu o parlamentar baiano no documento encaminhado à Presidência da República.

De acordo com a proposta aprovada na Câmara, o Gás Social será concedido a famílias de baixa renda, inscritas no Cad único. Hoje fazem parte do cadastro famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, ou seja, com renda mensal de até meio salário  ou famílias com renda total de até 3 mínimos. “Fiquei muito feliz com esta aprovação porque há muito tempo trabalho para a redução do preço do botijão de gás. Há pouco mais de dois meses, encaminhei um projeto ao presidente Bolsonaro sugerindo a criação do novo auxílio. Felizmente, os parlamentares perceberam que o preço do gás precisa baixar mesmo”, afirmou Correia.

Optimized with PageSpeed Ninja