Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Provas concretas: Bolsonaro não comprou vacinas antes porque não quis

Em uma sequência de mensagens, o senador  Randolfe Rodeigues, vice- presidente da CPI da Covid, afirmou que a “omissão na aquisição de vacinas da Pfizer acontecia ao mesmo tempo que o nosso Itamaraty pressionava a Índia para liberar cargas de hidroxicloroquina a uma empresa brasileira” e classificou a ação do Ministério das Relações Exteriores no caso como “advocacia administrativa” – patrocinar interesse privado por meio da administração pública, crime previsto no Código Penal.
O último, datado de 2 de dezembro de 2020, é um e-mail desesperador da Pfizer pedindo algum tipo de informação porque eles queriam fornecer vacinas ao Brasil”, escreveu o senador.