Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Quebra de patentes das vacinas – Biden e comunidade europeia apoiam, Bolsonaro é contra

Nesta quinta-feira, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, indicou que o bloco quer uma solução “pragmática” para a questão do acesso às vacinas. “Estamos prontos para discutir como a proposta dos EUA por uma suspensão de patentes pode atingir os objetivos (de maior distribuição)”, disse, pela primeira vez admitido falar sobre o caminho até agora rejeitado pelos países ricos…. – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/colunas/jamil-chade/2021/05/06/pos-biden-bolsonaro-vive-derrota-diplomatica-e-ue-quer-negociar-patentes.htm?utm_source=chrome&utm_medium=webalert&utm_campaign=politica&cmpid=copiaecola

De acordo com a administração Biden, o objetivo é auxiliar na aceleração de produção e distribuição de vacinas ao redor do mundo para erradicar a pandemia da COVID-19.

A administração Biden manifestou apoio à suspensão proteções de propriedade intelectual para as vacinas contra a COVID-19 devido à emergência global desencadeada pela pandemia. A informação foi divulgada pela representante de Comércio dos EUA, Katherine Tai, nesta quarta-feira (5).

“Esta é uma crise de saúde global e as circunstâncias extraordinárias da pandemia COVID-19 exigem medidas extraordinárias. O governo acredita fortemente em proteções de propriedade intelectual, mas com o fim de acabar com esta pandemia, apoia a suspensão dessas proteções para vacinas contra COVID-19”, disse Tai em um comunicado.
Ela acrescentou que os Estados Unidos participariam ativamente das negociações no âmbito da Organização Mundial do Comércio para fazer com que a quebra das pantentes aconteça.

“Essas negociações levarão tempo, dada a natureza consensual da instituição e a complexidade das questões envolvidas”, acrescentou.

De acordo com a representante norte-americana, o objetivo do apoio é garantir o maior número de vacinas eficazes no menor período de tempo possível ao redor do mundo, considerando que a população norte-americana já tem as doses de imunizante assegurada.

O Brasil tradicionalmente apoia a quebra de patentes para medicamentos, mas no caso das vacinas contra a COVID-19 o atual governo se posicionou contra, ainda durante a administração de Donald Trump.