Queiroz era elo entre o clã Bolsonaro e a milícia que executou Marielle

Sakamoto

Fabrício Queiroz, amigo de longa data do presidente da República, foi alvo de operação do Ministério Público do Rio de Janeiro, nesta quarta (18), junto com outros ex-assessores do então deputado estadual e, hoje, senador, Flávio Bolsonaro e do próprio filho primogênito de Bolsonaro. Visitaram endereços em meio à investigação sobre a “rachadinha” de salários entre servidores e o chefe e a existência de funcionários fantasmas. Entre os ex-assessores, parentes de Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro.

o fato do presidente da República ter dito que um depósito de R$ 24 mil feito por Queiroz na conta da, hoje, primeira-dama, era a devolução de um empréstimo, sem apresentar nenhuma prova disso, já seria motivo o bastante para chocar o Brasil. Mas os envolvidos sabem que operam com uma sociedade anestesiada e que evidências apenas trazem indignação quando envolvem o outro lado…

Até agora, pasmem, Queiroz prestou apenas um depoimento por escrito ao MP-RJ, não tendo ido conversar pessoalmente com os promotores.

Leia o artigo completo aqui