Quem confia no que Bolsonaro diz?

Líderes bolsonaristas atribuem a crise econômica a queda da aprovação de Bolsonaro, mas de forma fantasiosa, acreditam na reeleição do presidente.
Na verdade, a reprovação tem vários fatores e a maior é a falta de credibilidade do que Bolsonaro fala. Nem mesmo seus aliados podem confiar, porque ele muda sempre o que diz.
Sua frustada tentativa de ruptura institucional abalou o pouco que que lhe resta de capital político. De acordo com a última pesquisa, ele é aprovado por 22% do eleitorado e rejeitado por 53%.

O líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO),

“Acho que, sendo divulgada nesse momento, que é muito diferente de quando as pessoas precisarem tomar as decisões, não vai levar em conta um balanço completo do governo”, afirmou.

“Por tudo o que passamos nesses mais de dois anos, o quadro é de confiança na reeleição do presidente Bolsonaro. A pesquisa foi feita ainda com os efeitos da pandemia, da crise política, que não retrata o ambiente da corrida eleitoral. Quem vê tudo o que o presidente tem feito nos últimos dois anos confia no trabalho”, completa.

 

O vice-líder do governo na Câmara Evair de Melo (PP-ES) disse que Bolsonaro não está preocupado com eleições e trabalha para melhorar a economia. “Eleição é só em 2022. A agenda não é essa. O governo não é movido por pesquisas”, afirmou.

A Datafolha diz que 57% não confiam no que Bolsonaro diz.

 

Optimized with PageSpeed Ninja