Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Rebeca Andrade – Medalha de ouro

Rebeca Andrade se tornou a primeira mulher do Brasil a conquistar dois pódios na mesma edição da Olimpíada. A atleta da ginástica artística ganhou a medalha de ouro no salto nos Jogos de Tóquio. Antes, já havia conquistado a prata no individual geral.

Com dois ótimos saltos, um de 15.166 e outro de 15.000, alcançando a média de 15.083. Sua principal adversária, Jade Carey, dos Estados Unidos, foi mal no primeiro salto e ficou fora do pódio. O pódio foi completado por Mykayla Skinner, dos Estados Unidos, que ficou com a prata com 14.916 de média, e a sul-coreana Seojeong Yeo, que ganhou o bronze ao fazer 14.733.

Rebeca Andrade cresceu na periferia de Guarulhos, deixou a casa da mãe aos 9 anos para se dedicar ao esporte e superou três lesões graves no joelho, e ganhou  duas medalhas  na Olimpíada de Tóquio. Uma de prata e outra de ouro.

Rebeca afirmou:
“Quando conseguimos expressar quem somos naquilo que fazemos, é possível experimentar a realização plena”, diz a primeira medalhista olímpica da história da ginástica brasileira. “O que você tem de diferente é o que você tem de mais bonito!”

Rebeca fez três cirurgias no joelho direito, em 2015, 2017, 2019. “Na primeira cirurgia, ela rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito e expressou o desejo de desistir de ser atleta.. Eu disse filha, não pare antes de tentar”, revelou a mãe Rosa, em entrevista a Mylena Ciribelli. ”

Dois anos depois, Rebeca rompeu novamente o ligamento cruzado anterior do joelho direito durante um treino no Mundial de Montreal, no Canadá. A última cirurgia foi em junho de 2019, ela torceu o mesmo joelho operado durante uma prova do Campeonato Brasileiro.

Em 2020, recuperada, com o adiamento da Olimpíada de Tóquio por causa da pandemia do novo Coronavirus, ela teve mais tempo para se recuperar, e garantiu sua vaga para a disputada da olímpiada. É um exemplo de dedicação e persistência.