Ricardo Sales x Luiz Eduardo Ramos

Membros do governo brigam entre si e enquanto isso o Pantanal e a Floresta Amazônica pega fogo sem brigadistas.

Em mais um episódio de medição de forças, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, decidiu testar a blindagem dada por Bolsonaro e partiu pra cima do próprio governo, anunciando, quatro horas antes, que todas os brigadistas do Ibama cruzariam os braços a partir da meia-noite de ontem. Salles diz que não tem dinheiro nem para pagar a conta de luz e mandou parar tudo.

A jornalista Bela Megale publicou um artigo com o título:
“Salles estica a corda com ala militar do governo e testa blindagem com Bolsonaro”

Mesmo sem a citação do nome de qualquer ministro no texto, Salles atribuiu a informação publicada a Ramos e o chamou de fofoqueiro.

Na última quinta-feira, 22, o ministro do Meio Ambiente , Ricardo Salles, usou as redes sociais para expor o atrito com o ministro palaciano.”@MinLuizRamos não estiquei a corda com ninguém. Tenho enorme respeito e apreço pela instituição militar. Atuo da forma que entendo correto. Chega dessa postura de #mariafofoca”, disse Sales.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tomou partido no conflito político entre os ministros Ricardo Salles, do Meio Ambiente, e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo. Em suas redes sociais neste sábado, 24, o deputado atacou Salles: “O ministro Ricardo Salles, não satisfeito em destruir o meio ambiente do Brasil, agora resolveu destruir o próprio governo”.

“Não é saudável que um ministro ofenda publicamente outro ministro”, em referência às publicações de Salles criticando Ramos e o chamando de “Maria fofoca”, na última quinta-feira, 22. Além de criticar Salles, Alcolumbre elogiou a atuação de Ramos na relação com o Parlamento.

“Sem entrar no mérito da questão, faço duas ressalvas. 1. Como chefe do Legislativo, registro a importância do @MinLuizRamos na relação institucional com o Congresso. 2. Não é saudável que um ministro ofenda publicamente outro ministro. Isto só apequena o governo e faz mal ao Brasil”, escreveu Alcolumbre em sua página no Twitter.

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, defendeu conversa e entendimento, mas julgou como “péssima” a reação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de chamar o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, de “maria fofoca” em uma rede social.

Já Ciro Nogueira assim se manifestou:

— O Progressistas manifesta total apoio ao trabalho do ministro-chefe da secretaria de Governo da Presidência da República, @MinLuizRamos. Sua atuação tem sido fundamental na construção e estabilidade de uma base sólida no Congresso Nacional.4