Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Rodrigo Maia defende a volta do financiamento eleitoral por empresas

Segundo o site de Claudio Humberto, o presidente da República em exercício, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu na manhã desta segunda-feira, 19, mudanças na forma como é feito atualmente o financiamento eleitoral. Maia, que dirige a Câmara dos Deputados, disse que as eleições municipais deste ano, com modelo que proíbe o financiamento empresarial, mostra que só quem comanda os partidos, ou os que já têm estruturas ou está na máquina tem dinheiro para suas campanhas.

Deputados e senadores já articulam no Congresso a volta do financiamento empresarial de campanha

Não é o Estado ( dinheiro público) que deve financiar campanhas políticas e sim a iniciativa particular. Isso ocorre em todos oa países democráticos, inclusive nos EUA. Usar dinheiro público para financiar partidos, além de imoral, vai criar uma tendência de apoio maior ao partido de quem está no poder. O PT foi o partido que mais fez “tranbiques” usando empresas para fins ilegais e políticos e foi contra o financiamento das Campanhas pela iniciativa privada. O apoio de empresas ou de particulares não significa necessáriamente que o eleito terá que cometer crimes para favorecer a empresa doadora. Cesar Maia está correto. O uso de dinheiro público em Campanhas só ocorre em países ditatoriais que existe partido único e candidato vitalício.
A reforma política deve ser feita, mas não para concentrar poderes ao estado. Isso é o sonho dos comunistas.