Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Rússia avisa Washington para parar de armar Kiev: Haverá “consequências imprevisíveis”

Segundo avançou o jornal The Washington Post, que indica ter tido acesso à referida carta diplomática, Moscovo adverte no documento que os envios de armas dos EUA e da NATO para a Ucrânia estão “a adicionar combustível” ao conflito e podem estar a desencadear “consequências imprevisíveis”.

Horas antes do The Washington Post ter avançado com a notícia, o canal de televisão CNN também disse ter tido acesso ao documento.

Na quarta-feira (13.04), o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, comunicou ao seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, o envio de um pacote adicional de assistência militar no valor de 800 milhões de dólares (mais de 740 milhões de euros), com armas mais letais, para enfrentar a Rússia na nova fase da guerra, agora mais focada no Donbass (leste ucraniano).

Depois de falar ao telefone com Volodymyr Zelensky, Biden disse em comunicado que as armas dos EUA e de outros países ocidentais foram “cruciais” para Kiev resistir à invasão russa no primeiro mês e meio de guerra, ainda assim com um “efeito devastador” para a Ucrânia.