Sara Winter : “Não sei mais quem ele (Bolsonaro) é"

Sara Winter : “Não sei mais quem ele (Bolsonaro) é"

A extremista Sara Geromine conhecida pelo nome de Sara Winter e e, apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e fudadora e líder do do grupo bolsonarista autodenominado “300 do Brasil”, está usando as redes sociais para criticar Bolsonaro.

presa em 15 junho por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do STF,está em recolhimento domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica desde o fim daquele mês. Ela é investigada no inquérito que apura manifestações de rua antidemocráticas.

“Não sei mais quem ele (Bolsonaro) é. O homem que eu decidi entregar meu destino e vida para proteger um legado conservador”, disse.

Em vídeos, Sara chorou e disse estar com depressão. “Eu vou ter que levantar e resolver os meus problemas. E não tem Bolsonaro para ajudar e não tem Damares (ministra da Mulher, da Família e dos Diretos Humanos) para ajudar”, falou.

A ativista disse sentir “inveja” do ministro do STF, Dias Toffoli, por ter ganhado um abraço do presidente. Imagens da CNN Brasil mostraram Bolsonaro abraçando o ex-presidente da Corte durante uma reunião no sábado (3) com a presença do desembargador Kassio Nunes Marques, indicado para ocupar a vaga de Celso de Mello no Supremo.

“Não aguento mais, talvez eu devesse virar feminista de novo, puta, petista, sei lá. Assim pelo menos eu teria a atenção do governo”. Sara Winter, que cumpre prisão domiciliar, vira chacota nas redes por vídeo em que chora e detona Bolsonaro: