Se Alckmin for para o segundo turno com Bolsonaro até o PT vai apoiar Alckmin

.Por orientação de Lula e com o objetivo de enfraquecer a candidatura de Geraldo Alckmin, , o ex- prefeito de São Paulo Fernando Haddad, afirmou que se no segundo turno ficar Alckmin e Bolsonaro, o PT vai apoiar Alckmin.
Lula sabe que quem é antipetista não quer ligações com o PT. Associando Alckmin ao PT enfraquece o tucano.
No segundo turno, é mais fácil o PT derrubar Bolsonaro do que Alckmin.

Haddad lembrou eleições do final do século passado.  Em 1998, lembrou, a então petista Marta Suplicy, que ficou de fora do segundo turno na disputa do governo estadual. O PT decidiu, então, apoiar Mário Covas (PSDB) na disputa contra Paulo Maluf (PPB, atual PP). O tucano saiu vencedor. “E não integramos o governo Covas.”

Para o petista, Alckmin só cresceria na disputa presidencial conquistando votos de Bolsonaro.

“Na campanha eleitoral, se me perguntarem sobre o Alckmin, vou dizer a verdade. Em quatro anos, nunca vi um empresário sugerir uma conduta inadequada do Alckmin.” Haddad e Alckmin conviveram durante a gestão do petista à frente da Prefeitura de São Paulo.

Durante toda a entrevista, concedida ao jornalista Reinaldo Azevedo, Haddad ressaltou que a  situação   de Lula, hoje inelegível com base na lei da Ficha Limpa. “Mas não vamos facilitar a vida de nossos adversários jogando a toalha.”

Segundo Hadadd, Dilma não obedecia Lula:

“Se ouvi uma coisa reiteradamente ao longo dos mandatos da Dilma é que ela não conversava com o Lula. Não ouvia o Lula. Os empresários iam procurar o Lula, pedindo para o Lula falar com a Dilma sobre determinados aspectos porque queriam que o Lula desse uma orientação nessa ou naquela direção”, comentou.