Segunda Turma do STF autoriza retorno de Cabral para o Rio

Por três votos a um, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta terça-feira a volta do ex-governador Sérgio Cabral para a prisão no Rio de Janeiro. Alvo da Lava-Jato, ele tinha sido transferido em janeiro deste ano para o Paraná após suspeitas de regalias no presídio em que estava.

O relator do caso, ministro Gilmar Mendes, também determinou a instauração de investigação para apurar o uso de algemas durante a transferência de Cabral do Rio para Curitiba.

O USO DE ALGEMAS SÓ É PERMITIDO QUANDO EXISTE RESISTÊNCIA A PRISÃO E PERIGO DE AGRESSÃO OU DE FUGA. OU SEQUESTRO DE QUADRILHA

O delegado responsável pela transferência disse na época que foram utilizadas algemas para “evitar que o preso pudesse adotar qualquer atitude que viesse a prejudicar a sua própria segurança, de terceiros e da equipe policial”.

— Todos ficaram pasmos (com o uso das algemas). Aonde queremos chegar? Que tipo de alma está morando no corpo dessa gente? — indagou Gilmar nesta terça-feira.

ALEM DE ALGEMAS FOI  USADA UMA CORRENTE NOS PÉS APENAS PARA HUMILHAR.