Sem reforma da previdência o Brasil terá uma crise com a da Grécia

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmou:

“Não temos como adiar a reforma da Previdência. Ela é vital para a União, mas é vital para os Estados. Não dá para a gente ter 66% do funcionalismo do Estado tendo aposentadoria especial, com menos de 50 anos. Temos 100 coronéis (da Polícia Militar) na ativa e 600 aposentados, ganhando R$ 23 mil. Se aposentam com 48 anos, 49 anos. Você acha que essa conta vai fechar?”

“Se não mexer na Previdência, daqui a pouco eles (os aposentados) não vão receber. É Grécia”, afirma,

 O Rio de Janeiro  gerou  um rombo de R$ 17,5 bilhões no Orçamento este ano (2016), que levou à invasão da Assembleia Legislativa por servidores furiosos com a possibilidade de redução salarial líquida de 30%. 

“A aprovação da PEC 241 e da reforma da previdência, junto com o cenário internacional, são decisivas para o ajustes das contas no Brasil.”( Ricardo Amorim)