Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

‘O SENHOR RESPEITE O JUÍZO!’, ORDENA MORO A ADVOGADO DE LULA

Nesta segunda-feira, 12 O juiz federal Sérgio Moro voltou a discutir com os advogados do ex-presidente Lula .

Moro  gritou  com o  advogado  e pediu  respeito a um dos advogados de Lula, Cirino . Ele havia dito que o juiz atua como ‘acusador principal’.

O debate ocorreu devido a uma pergunta feita pelo procurador Paulo Roberto Galvão de Carvalho para a testemunha Mariuza Aparecida da Silva Marques, funcionária da empreiteira OAS encarregada pela supervisão do prédio do tríplex do Guarujá, cuja propriedade o Ministério Público Federal atribui a Lula como forma de pagamento de vantagens indevidas da empreiteira.

O procurador da República insistiu na pergunta a Mariuza sobre uma visita da mulher do ex-presidente, Marisa – também ré no processo – ao imóvel do Condomínio Solaris, no litoral paulista. “Essa visita, a dona Maria Letícia estava sendo tratada pelo grupo OAS como uma possível compradora do imóvel ou a quem o imóvel já tinha sido destinado?”

Uma advogada interrompeu. Em seguida, o procurador repetiu a indagação à testemunha.

Então, o advogado Cirino entrou em cena. “Fica o protesto aqui de novo, excelência.”

“Dr. o senhor está sendo inconveniente”, disse Moro.

“A defesa não é inconveniente enquanto estamos no exercício da ampla defesa”, insistiu o advogado.

“Já foi indeferida a sua questão”, afirmou o juiz.

“Vossa Excelência não pode cassar a palavra da defesa, estamos colocando uma questão muito importante, relevante. O ilustre procurador da República está pedindo a opinião da testemunha.”

Moro disse que ‘pode cassar’ a palavra da defesa ‘quando inconveniente’ e reiterou que estava ‘indeferida’ a questão. Ele ordenou. “Já está registrado e o sr. respeite o juízo!”

“Eu não respeito o juízo enquanto Vossa Excelência não me respeite como defensor do acusado”, devolveu o advogado. “Se Vossa Excelência atua aqui como acusador principal perde todo o respeito.”

“A sua questão já foi indeferida, o sr. não tem a palavra”, decretou o juiz.

Moro pediu à testemunha que respondesse à indagação do procurador.

“É…(Marisa Letícia) tratada como se o imóvel já tivesse sido destinado (à mulher de Lula).”

O bate-boca começou aos 13 minutos. Confira o vídeo abaixo.