Só existem três países que possuem embaixadas em Jerusalém

No presente momento, apenas a Guatemala, EUA, Paraguai, possuem embaixadas em Jerusalém.

Países que reconhecem Jerusalém como capital de Israel mas não possuem embaixadas lá: Honduras, Islas Marshall, Micronesia, Nauru, Palau e Togo, Taiwan, República de Vanuatu, República Checa.

Por que a França, Espanha, Alemanha, Japão, Inglaterra e outras potências mundiais não colocam suas embaixadas em Jerusalém?

Dos países citados o único que é uma grande potência é os EUA.

O Brasil possui atualmente uma posição neutra da questão Israel e Palestina e mantém boas relações com os dois países e é fornecedor de alimentos para a região. Essa posição foi conquistada, entre outras coisas, por causa da posição equilibrada que o Brasil mantém no conflito entre Israel e a Palestina.

Ao tomar posição em apoiar um lado, contra o outro, O Brasil só tem a perder. Ao fazer isso, Bolsonaro estará, colocando em risco o Brasil provocando o Grupo terrorista Hamas.

Em tom mais duro, o grupo Hamas, que está no poder em Gaza, usou as redes sociais para criticar a mudança.
“Rejeitamos a decisão do presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro”, declarou o porta-voz do Hamas, Sami Abu Zuhri. Para ele, a iniciativa é um “passo hostil ao povo palestino”.

Colocando em risco as exportações do Brasil aos países Árabes, principalmente carne.

A comunidade internacional ( os países mais importantes da comunidade internacional)  não reconhecem a reivindicação israelense de Jerusalém como sua capital indivisível.

Contrariando os Árabes eles poderão passar a olhar para outros fornecedores, como a carne da Austrália, da Turquia e da Argentina, ou o frango da França.

“A mudança da embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém, confirmada pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, pode interromper uma trajetória de crescimento da parceria entre o Brasil e os países árabes.”

A afirmação é do presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Rubens Hannun.