Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Sputinik pode ser mais uma alternativa para aumentar as doses de vacinas no Brasil

Envergonhado com a dependência da “vacina de Doria” e de insumos chinês que ele tanto criticou, ( não só para a vacina Coronavac como também para a vacina de Oxford), Bolsonaro poderá agilizar a aprovação e compra da vacina russa, Sputnik V.
No Brasil, ela será produzida pela farmacêutica União Química, que planeja trazer ao País 10 milhões de doses prontas até março. Além disso, programa produzir outras 150 milhões em 2021 – e espera fabricar o insumo farmacêutico ativo no País.
o estado da Bahia possui promessa de compra de 50 milhões de doses e aguarda apenas a autorização da Anvisa.

Bolsonaro reuniu-se na quarta-feira com o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, para falar sobre  a aprovação da Sputnik V.  o Ministério da Saúde disse à União Química que está “disposto a formalizar as tratativas comerciais para eventual aquisição dos lotes do imunizante”, caso a empresa receba aval para o estudo de fase 3 e peça o uso emergencial à Anvisa.

O QUE ESTÁ FALTANDO PARA A ANVISA APROVAR A FASE DE TESTES SE A VACINA JÁ FOI APROVADA EM OUTROS PAÍSES?

A Anvisa detalhou ao STF a falta de dados da Sputnik, em ofício de 22 de janeiro, onde ressaltou que sequer informações exigidas para realizar a pesquisa no País foram apresentadas. Faltam ainda dados de eficácia e segurança do produto, entre eles, os de “toxicidade reprodutiva”, que mostram que a vacina não leva à infertilidade ou prejudica o desenvolvimento de um embrião, feto ou recém-nascido. O pedido foi devolvido pela agência à empresa.

SE ESSA VACINA JÁ FOI APROVADA POR OUTRAS AGENCIAS INTERNACIONAIS DE SAÚDE, E ESSAS EXIGENCIAS SÃO AS MESMAS,. QUAL SERIA A DIFICULDADE PARA A APRESENTAÇÃO DESSES DADOS? OU SERÁ QUE AS EXIGENCIAS SÃO APENAS DA ANVISA ? QUAL PAÍS IRIA USAR UMA VACINA PARA VACINAR SEU POVO SEM O MÍNIMO DE SEGURANÇA? TEM ALGO ESTRANHO NESSE ENTRAVE.