STF manda PGR investigar coronel da reserva que chamou Rosa Weber de “salafrária e corrupta”

Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) encaminhou nesta terça-feira (23) à Procuradoria-Geral da República (PGR) um pedido de investigação sobre o coronel da reserva Carlos Alves, que veiculou no YouTube um vídeo (veja abaixo) com fortes críticas e até xingamentos contra a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, e outros ministros do próprio STF.

Em quase meia hora de fala, Carlos sai em defesa do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) em relação à denúncia de que sua campanha foi beneficiada por uma rede de disseminação de conteúdo negativo, paga por empresários, contra o adversário no segundo turno, Fernando Haddad (PT). Segundo a legislação eleitoral, trata-se de crime, pois configura doação de campanha não contabilizada.