Temer diz que não deixará em branco as acusações de Machado

Em pronunciamento no Palácio do Planalto na manhã desta quinta-feira,  o presidente interino Michel  Temer, classificou de ‘levianas’ as acusações presentes na delação de Sérgio Machado, segundo a qual o peemedebista teria pedido dinheiro para a campanha de doações ilegais para a campanha à prefeitura de Gabriel Chalita à Prefeitura de São Paulo, em 2012 .

“Ao contrário de outros, não vou deixarei passar em branco essas acusações levianas “, afirmou Temer.

No dia seguinte às denúncias de que teria recebido propina, o presidente em exercício, Michel Temer, veio a público, na manhã desta quinta-feira (16), para se defender. Em entrevista coletiva, Temer chamou a delação de Sérgio Machado de “leviana, mentirosa e criminosa”. O ex-presidente da Transpetro afirmou que o peemedebista teria pedido a ele recursos ilícitos para a campanha de Gabriel Chalita (PMDB) à Prefeitura de São Paulo em 2012.

O valor acertado entre ambos foi de R$ 1,5 milhão. O pagamento teria saído dos cofres da Queiroz Galvão, uma das empreiteiras investigadas na Lava Jato.

Durante sua fala, Michel Temer garantiu que não deixará “em branco” as denúncias de Machado. “Quero me dirigir à minha família, amigos, conhecidos e ao povo brasileiro para dizer que não deixarei passar em branco essas acusações levianas. Penso que a primeira afirmação que devo fazer é essa. Devo revelar, eu falo palavras indignadas, para registrar, mais uma vez, que esta leviandade não pode prevalecer”, disse.

Segundo Temer, “alguém que teria cometido aquele delito irresponsável que Machado apontou não teria condição de presidir o país”. O presidente em exercício aproveitou o momento para fazer uma breve avaliação de seu governo. “Ao longo deste mês, praticamos os mais variados gestos com vistas de tirar o país da crise profunda a que mergulhou. Ainda ontem lançamos o ajuste fiscal, uma nova meta fiscal que, como pude perceber nos  noticiários, é dos mais aguardados para o momento no país”, disse.

Temer terminou o discurso reiterando que nada impedirá que ele continue a trabalhar. “Não vamos tolerar afirmações dessa natureza. Quero dizer que quando surgirem fatos dessa natureza ,virei a publico contestá-las”, finalizou. ( Diário do Poder)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.