Todos devem usar máscaras para reduzir os casos de coronavírus

 

Na entrevista coletiva realizada no Palácio do Planalto com diversos ministros na tarde de ontem (02/03) o ministro da Saúde, Henrique Mandetta,  defendeu o uso da confecção de máscaras caseiras feitas pela população para proteção contra o coronavírus.

“Você pode fazer uma máscara ‘barreira’ usando um tecido grosso, com duas faces. Não precisa de especificações técnicas. Ela faz uma barreira tão boa quanto as outras máscaras. A diferença é que ela tem que ser lavada pelo próprio indivíduo para que se possa manter o autocuidado. Se ficar úmida, tem que ser trocada. Pode lavar com sabão ou água sanitária, deixando de molho por cerca de 20 minutos. E nunca compartilhar, porque o uso é individual”, explica o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Máscaras de pano para uso comunitário funcionam muito bem e não são caras de fazer. Porque, agora, é lutar com as armas que a gente tem. Não adianta a gente lamentar que a China não está produzindo. Vamos ter que criar as nossas armas, e elas serão aquelas que nós tivermos”, completou Mandetta.

“É lógico que a pessoa olha e fala: ‘Eu queria uma máscara daquela N95 , aquela bem bacana – que eu queria ficar com uma daquela – aquela é a que me protege bem’. Aquilo vai fazer falta para esses profissionais que estão dentro do CTI. Aquelas eu vou ter que fracionar o uso. E essas outras, descartáveis, para o pessoa que está dentro do hospital, porque eu não posso querer que eles peguem e guardem. Eu quero que a deles seja descartável. Quem está em comunidade é a coisa mais simples de se fazer. Faça a sua mesmo e faça as medida de higiene. Nós estamos falando de perdigoto, de gotícula. Quando você põe uma barreira, você já não elimina a gotícula. E se vem de lá para cá, ela segura também como barreira. Se ela ficar úmida, ela tem que ser trocada. Então, a cada uma hora, duas horas, você tem que trocar. É o mesmo tempo que você tem que trocar a de papel também. Então, a diferença é que essa, quando você trocar, você vai pôr ela em um saquinho, vai guardar. E, quando você for chegar em casa, você vai lavar com alguma substância que seja alguma de limpeza. Não tem nenhuma ciência nisso, não tem nada que não seja aquilo que nós já sabemos. Então, o que é hospitalar deixa para o hospital. E o que é comunitário, você tem essa opção que você pode usar muito bem, fazer a proteção muito bem e deixar, colaborar para que o sistema possa ter seu ponto de equilíbrio”, orientou Mandetta.

As máscaras cirúrgicas,  N95 são usadas apenas para profissionais de saúde.. As máscaras  caseiras de pano, só devem ser usadas pelo período de 2 h e posteriormente  lavadas. O uso deve ser individual e não podem ser compartilhadas.

O Ministério da Saúde elaborou algumas orientações para que a população faça as máscaras com os materiais que têm em casa. Abaixo reproduzimos algumas das orientações:

As medidas de utilização e higienização das máscaras caseiras fazem a diferença para a eficiência da iniciativa. Desta forma, os seguintes cuidados devem ser utilizados:
1. O uso da máscara caseira é individual, não devendo ser compartilhada entre
familiares, amigos e outros.

2. Coloque a máscara com cuidado para cobrir a boca e nariz e amarre com segurança para minimizar os espaços entre o rosto e a máscara.

3. Enquanto estiver utilizando a máscara, evite tocá-la na rua, não fique ajustando
a máscara na rua.

4. Ao chegar em casa, lave as mãos com água e sabão, secando-as bem, antes de
retirar a máscara.

5. Remova a máscara pegando pelo laço ou nó da parte traseira, evitando de tocar na parte da frente.

6. Faça a imersão da máscara em recipiente com água potável e água sanitária (2,0 a 2,5%) por 30 minutos. A proporção de diluição a ser utilizada é de 1 parte de água sanitária para 50 partes de água (Por exemplo: 10 ml de água sanitária para
500ml de água potável)

Para acessar o manual sobre uso de máscaras caseiras clique aqui

O Secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas Boas,  divulgou no Twitter,  três vantagens para o uso preventivo das máscaras no combate ao coronavírus.( Abaixo)

 

 

Mas no site da Organização Mundial da Saúde,  informa que o uso das máscaras deve ser feito apenas para pessoas com suspeita da infecção ou que está cuidando de pessoas suspeitas ou infectadas.

O texto abaixo, está na página da Organização Mundial da Saúde ( em inglês). Fizemos a tradução.

 

Quando usar uma máscara

 

  • Se você é saudável, você só precisará usar uma máscara se estiver cuidando de uma pessoa com suspeita de infecção por 2019-nCoV.
  • Use uma máscara se estiver tossindo ou espirrando.
  • As máscaras são eficazes somente quando usadas em combinação com a limpeza frequente das mãos com álcool ou água e sabão.
  • Se você usa uma máscara, deve saber como usá-la e descartá-la adequadamente.

 

Quando e como usar máscaras médicas para proteger contra o coronavírus

 

  • Antes de colocar uma máscara, limpe as mãos com um sabonete à base de álcool ou água e sabão.
  • Cubra a boca e o nariz com a máscara e verifique se não há espaços entre o rosto e a máscara.
  • Evite tocar na máscara enquanto a estiver usando; se o fizer, limpe as mãos com um sabonete à base de álcool ou água e sabão.
  • Substitua a máscara por uma nova assim que estiver úmida e não reutilize máscaras de uso único.
  • Para remover a máscara: remova-a por trás (não toque na frente da máscara); descartar imediatamente em uma lixeira fechada; limpe as mãos com álcool ou água e sabão à mão.

 

Esclarecemos a população que existem máscaras descartáveis que devem ser jogadas fora após ficar úmida, e máscaras que podem ser reutilizadas.( Máscaras M19 para profissionais de Saúde)

 

OMS PASSOU A RECOMENDAR O USO DE MÁSCARAS

 

O diretor-executivo de emergências da organização, Mike Ryan, ressaltou que médicos e enfermeiros na linha de frente devem ter prioridade para as máscaras profissionais de alta proteção, mas afirmou que, usar algo para cobrir a boca e no nariz para prevenir tosses ou espirros não é uma má ideia.

Ele disse que, em algumas circunstâncias, o uso de máscaras caseiras ou de tecidos pode ajudar no combate à pandemia:

“Não é a solução ideal, mas deve ser considerada no contexto de uma estratégia abrangente de controle da doença.”, afirmou Mike Ryan.

 

Jorge Roriz