Trabalhador sofreu uma morte terrível ao ficar preso dentro de um enorme forno

Os fornos industriais jamais devem ser ligados por funcionários sem antes ser checada  a presença fora do forno de todos os funcionários

Homem é ‘assado’ vivo

Alan Catterall, de 54 anos, tinha a responsabilidade de limpar o plástico da parte interior de um forno industrial de uma fábrica de caiaques chamada Pyranha Mouldings, em Cheshire, na Inglaterra.

O caso aconteceu em 2010 e foi recontado na semana passada no MrBallen Podcast, dedicado a “histórias estranhas, sinistras e misteriosas”. Na ocasião, outro funcionário da fábrica, Mark Francis, que à época era noivo da filha de Caterall, não sabia que o sogro ainda estava dentro do forno — e ligou o equipamento.

À medida que a temperatura subia, Caterall tentou desesperadamente pedir ajuda. Ele bateu nas paredes do forno com uma barra de ferro, na esperança de chamar a atenção de alguém.

As paredes do forno, no entanto, ficaram incandescentes, “e, em pouco tempo, a barra de ferro que ele estava usando para tentar abrir a porta deve ter ficado tão quente que ele não poderia segurá-la”, afirmou o podcaster.

“O chão também deve ter ficado extremamente quente, seus sapatos começariam a derreter, e, em seguida, a temperatura do ar dentro teria se tornado tão insuportavelmente alta que ele não conseguia respirar.”

A esposa de Caterall, Pearl, que também trabalhava na empresa, disse mais tarde ao tabloide The Mirror que não culpava o genro pelo acidente. “Não culpamos o Mark de forma alguma. Ele e minha filha ainda estão juntos. Culpo a Pyranha Mouldings Ltd pelo ocorrido. Ainda é um grande choque”, disse.

Outro  acidente semelhante:

O mexicano Jose Melena, 62 anos, trabalhador de uma empresa que produz enlatados de atum em Sante Fe Springs, no estado da Califórnia (EUA), morreu de forma brutal por acidente. Jose estava limpando e fazendo a manutenção do forno na fábrica em que trabalhava, a Bumble Bee Foods. Dois colegas acharam que ele estava no banheiro e acabaram ligando o equipamento que assa o pescado. O empregado foi assado vivo, em meio a mais de cinco toneladas de atum

 

Os fornos industriais jamais devem ser ligados por funcionários sem antes ser checada  a presença fora do forno de todos os funcionários

JORGE RORIZ