Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Um exemplo para os bolsonaristas que não acreditam no vírus

Tiago Silso Neves, de 39 anos, morador de Várzea Paulista,ex-gestor de esportes do município, (SP) contou ao G1 que promoveu durante a pandemia uma arrecadação de alimentos na cidade, para doar a famílias necessitadas. Foi batendo de casa em casa que, entre um grupo de 15 pessoas, ele foi o único a ser infectado pelo vírus, que quase o tirou a vida. Após o diagnóstico, Tiago ficou 11 dias internado na UTI.

“Quando tive alta e voltei para casa, eu não sabia que minha família inteira havia sido contaminada, eu passei para todo mundo, até meu filho de 1 ano e 10 meses. Só quem passa por isso sabe o que é estar nessa situação, ver num dia a família conversando por vídeo e no dia seguinte a pessoa morrer, é muito triste”, contou.

“Precisei quase morrer para acreditar, infelizmente. Só depois que passei por tudo isso que acreditaram que é real [o vírus]”.

“Eu vi três mortes la dentro. Um deles, um dia antes a família estava em chamada de vídeo pedindo para o rapaz voltar pois estavam todos o esperando. No dia seguinte ele partiu para o descanso. Chorei muito e pedia muito a Deus para me tirar logo dali para que eu pudesse conscientizar as pessoas dessa doença que eu não acreditava”.

“Eu não tinha força para mais nada e nem levantar sozinho. No hospital em Jundiaí rapidamente constataram que eu estava com o pulmão bastante afetado. Foram 11 dias na UTI e uma luta muito grande para poder sobreviver”, relatou.

“Eu não acreditava. Achava que era muito mais política do que realidade. Quando eu peguei, achei que fosse morrer”, afirmou.