Vacinas não causam AIDS

Repetindo fake news em sua live na última quinta- feira, Bolsonaro afirmou:

“Os totalmente imunizados estão desenvolvendo Aids”,

“Relatórios do Reino Unido sugerem que os totalmente vacinados (…) estão desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida muito mais rápido que o previsto”, afirmou o presidente.

ESSA DECLARAÇÃO É CRIMINOSA, PORQUE INDUZ QUEM TOMOU A PRIMEIRA DOSE A NÃO TOMAR  SEGUNDA DOSE, E ISSO PODE LEVAR A MORTE DE MUITOS IGNORANTES BOLSONARISTAS.

Procurado pelo g1, o Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido desmentiu boatos de que relatórios mostrariam que pessoas totalmente vacinadas contra a Covid-19 desenvolveram Aids. Documentos citados nas mensagens falsas não associam a doença à vacinação em nenhum momento e, segundo a agência de checagem Aos Fatos, uma coluna foi inserida em uma imagem para distorcer os dados originais sobre a eficácia das vacinas. Nesta semana, o presidente Bolsonaro propagou a desinformação em uma live para apoiadores.

A microbiologista, Natália Pasternak, escreveu:

“Vacinas nao causam AIDS!!!! Nenhuma vacina! PQP parece que eu estava adivinhando que só faltava isso, aguardem minha coluna de segunda no @JornalOGlobo”

OS MISERÁVEIS CONTINUAM ESPALAHNDO FAKE CONTRA AS VACINAS. ISSO É CRIME HEDIONDO. MATA MUITOS DESAVISADOS QUE ACREDITAM NESSES BOATOS E DEIXAM DE SE VACINAR, SENDO CONTAMINADO PELA COVID

O vírus da imunodeficiência adquirida (HIV) é o único causador da aids. A infecção ocorre exclusivamente por: relação sexual desprotegida com portador (a) ou contato com sangue contaminado (drogas injetáveis, etc).

O médico e pesquisador de saúde Daniel Dourado também usou a plataforma para informar as pessoas da maneira correta. “Não existe nenhuma possibilidade de a vacina causar aids, zero. Qualquer que seja a vacina. É isso que precisa ser divulgado de forma clara e direta”, disse.

“Bolsonaro mais uma vez usou documento falso para atacar as vacinas e associá-las a aids. Lamentável que essa seja a prioridade do presidente de um país com mais de 600 mil mortos, 20 milhões de famintos e 14 milhões de desempregados. Mais um crime na ficha de Bolsonaro”, disse o líder da minoria na Câmara, Marcelo Freixo (PSB-RJ).

“Bolsonaro dispara mais uma fakenews associando vacina a AIDS. Como coordenador da Frente de Enfrentamento ao HIV/AIDS/hepatite virais no Congresso, entrarei com todos as medidas jurídicas contra o presidente e sua fala negacionista.”

Alexandre Padilha (@padilhando)

“Nojento! Acusado de cometer crimes contra humanidade, Bolsonaro segue com seu projeto de morte, espalhando a absurda fake news de que quem está tomando as 2 doses da vacina está adquirindo HIV/AIDS.”
Manuela D’Ávila (PCdoB)

Optimized with PageSpeed Ninja